ESG: A sigla que define mudanças nas organizações em todo o mundo

Foi-se o tempo em que a única preocupação de investidores era o lucro gerado por meio de suas aplicações, hoje, além do retorno financeiro, eles buscam por empresas comprometidas com questões ambientais, sociais e de governança. Esse novo movimento, conhecido como ESG (do inglês environmental, social and corporate governance), vem ganhando força no Brasil, principalmente após o acidente na barragem da Vale em Brumadinho (MG) no início deste ano. 

A Dynamica sempre teve essa questão nos seus valores, desde sua fundação. Temos apoio permanente de especialistas em sustentabilidade, meio ambiente e transição justa do trabalho para uma nova economia. Unimos a expertise da empresa em Gestão de Mudanças e Cultura e criamos soluções para assessorar sua empresa na adequação aos indicadores do ESG. Entenda, nos próximos parágrafos, como o ESG impacta a tomada de decisões no mercado de investimentos brasileiro e como nós podemos auxiliar a sua empresa na adaptação a estes padrões.

ESG: O bê-a-bá dos novos negócios. 

Sendo um dos mais importantes pilares de uma empresa, a sustentabilidade tornou-se ponto focal de grandes investidores, isso porque, ao apostar em empresas que têm a sustentabilidade intrínseca aos valores da organização o investidor entende quais são as relações entre empresa e meio ambiente e suas dependências ambientais, seja na produção ou venda de produtos e serviços.

E – Indicadores de sustentabilidade 

Sendo um dos mais importantes pilares de uma empresa, a sustentabilidade tornou-se ponto focal de grandes investidores, isso porque, ao apostar em empresas que possuem a sustentabilidade intrínseca aos valores da organização o investidor entende quais são as relações entre empresa e meio ambiente e suas dependências ambientais, seja na produção ou venda de produtos e serviços. Neste caso são levados em consideração os posicionamentos da companhia sobre aquecimento global e emissão de carbono, poluição do ar e da água, biodiversidade, desmatamento, eficiência energética, gestão de resíduos e escassez de água, por exemplo.

 

S – Métricas Sociais 

Há uma análise de como a companhia se porta frente aos colaboradores, fornecedores e clientes. É preciso entender a forma que a empresa garante o desenvolvimento e bem-estar de todos os envolvidos nos processos de trabalho interno ou externo. Alguns pontos de destaque são: 

  • Satisfação dos clientes;
  • Proteção de dados e privacidade;
  • Diversidade da equipe;
  • Engajamento dos funcionários;
  • Relacionamento com a comunidade;
  • Respeito aos direitos humanos e às leis trabalhistas.

 

G- Critérios de Governança Corporativa

Governança corporativa diz respeito à relação que donos e demais sócios de empresas possuem e quais valores regem a administração da organização. Uma boa governança é aquela que não pensa apenas no lucro líquido para os acionistas, mas envolve toda a cadeia de stakeholders neste processo. Para ser considerada uma empresa que pensa na sociedade e no meio ambiente, não basta colocar isso em seu planejamento, é preciso contemplar todos os envolvidos nestes processos: acionistas, investidores, fornecedores, colaboradores e a comunidade em geral. 

São 04 princípios básicos que permeiam as práticas de governança corporativa: 

Transparência: É preciso entender que todas as informações da sua empresa, sejam elas positivas ou negativas, influenciam na vida dos stakeholders que investem em sua organização. Dessa forma, ser transparente torna-se uma obrigação para empresas que querem enquadrar-se nos índices ESG. 

Equidade: Trata-se de compartilhar informações, garantir o conhecimento de todos os dados importantes da empresa e horizontalizar a informação a todos os envolvidos, sejam eles colaboradores, clientes, fornecedores ou investidores.

Prestação de contas: Segundo o IBCG (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa): “Os agentes de governança – sócios, administradores, conselheiros, auditores, conselho fiscal e conselho de administração – devem prestar contas de sua atuação de modo claro, conciso, compreensível e tempestivo, assumindo integralmente as consequências de seus atos e omissões e atuando com diligência e responsabilidade no âmbito dos seus papéis”. Ou seja, cumprir metas (KPIs) e prestar contas, com clareza foge aos intramuros da empresa. 

Responsabilidade corporativa: Ter responsabilidade corporativa é prestar um bom papel no tratamento dos colaboradores, na preservação do meio-ambiente, no comércio mais justo, entre outros. Empresas que prezam pela responsabilidade corporativa impactam positivamente seus stakeholders administrando a viabilidade financeira do negócio, aumentando o lucro e mapeando o mercado à longo prazo.

 

ESG e a mudança de mindset dos investidores

Com todos estes pontos sendo levados em consideração, hoje, além dos retornos financeiros trazidos pelas empresas, os investidores apoiam suas escolhas em organizações que se enquadram dentro dos padrões ESG tendo uma visão de instituição socioambiental e com responsabilidade organizacional.

Vale lembrar que, mesmo estando em seus primeiros passos aqui no Brasil, o ESG tornou-se um padrão de mudança para um bem maior. Agora com mais notoriedade, devido a posicionamentos de grandes empresas como Apple e Microsoft sobre a emissão excessiva de CO², profissionais do mercado financeiro estão cada vez mais atentos à forma que as organizações se portam perante estes assuntos. 

O consumo excessivo de bens naturais é responsável por problemas diversos em todo o mundo e empresas que visam um futuro menos prejudicial ao meio ambiente e que estão aptas a mudar sua forma de consumir os insumos da natureza são as escolhidas como pupilas dos novos investidores. Por isso, o tempo de mudar é agora. É preciso entender que não é mais sobre o dinheiro e sim sobre o posicionamento e influência que a sua organização tem na sociedade e no meio ambiente. 

Na sua empresa quais são as mudanças necessárias? Todo processo de adequação em uma organização é parte de um projeto de mudança, transformação cultural e adequação de mindset, para o ESG, vale a mesma máxima. Para garantir uma boa adaptação é preciso que todos os envolvidos na organização compreendam e saibam lidar verdadeiramente com o tema. Além de garantir que os valores e propósitos da empresa estejam alinhados a questões ambientais, sociais e de governança, é necessário preparar as equipes para que estejam aptas a encarar as mudanças trazidas pelo ESG. Contar com uma empresa parceira é a forma mais rápida e segura de adequar-se a estes padrões, a Dynamica tem a expertise, metodologia, time especializado e ferramentas para apoiar sua empresa neste processo.

ESG no Brasil

O foco no ESG começou a se intensificar recentemente no Brasil, com investidores de todo o mundo mais atentos a questões sociais e ambientais as empresas que prezam por um posicionamento alinhado com estes valores saem na frente quando o assunto é investimento.

Em 2020 por conta de toda a instabilidade financeira e política, o nosso país se viu em um cenário crítico em frente a demais potências mundiais. Segundo dados do Ibovespa, no primeiro semestre de 2020 os investidores retiraram o valor recorde de R$76,5 bilhões de investimentos em fundos brasileiros. Um dos pontos mais negativos para as instituições brasileiras este ano, além da crise na saúde, foi a alta degradação da Amazônia e o descaso com os impactos que isso causou. Com todos estes acontecimentos, indústrias foram forçadas a passar por um processo de adaptação em suas produções tendo a sustentabilidade como alicerce para se reerguer neste novo cenário. 

Os fundos baseados em ESG no Brasil ainda são poucos, mas o país caminha em direção a uma melhora. Para os próximos anos, empresas precisam entender o real impacto de suas produções no meio ambiente e na sociedade, adequar estes fatores com uma visão dos riscos e oportunidades geradas e comunicar-se com investidores de forma consciente e transparente.

Os líderes, gestores e conselhos de administração são parte fundamental para a evolução deste movimento. Eles são os responsáveis por integrar assuntos relacionados a ESG em seus planejamentos e na rotina de atividades de todos os colaboradores fugindo do greenwashing – estratégia de marketing que promove discursos de empresas que se dizem ecologicamente corretas a fim de minimizar os impactos causados ao meio ambiente. Os líderes do futuro precisam basear-se em propósitos e valores reais sempre com atenção aos pontos levantados pelo ESG.

 

Dicas da Dynamica

  • Comece com a análise do ambiente, veja quais são os pontos mais fáceis de serem adequados;
  • Seja transparente e envolva todos os stakeholders nos processos de mudança;
  • Desenvolva times que consigam lidar com as transformações;
  • Alinhe a cultura da sua empresa com os moldes do ESG;
  • Conte com uma empresa expert em estratégia e mudanças para te auxiliar neste processo.

 

Não perca os próximos cursos e eventos da Dynamica:

Termine o ano com a sua certificação em GMO. O curso começa em 3 dias.  – Acesse e confira

Último Encontro para Mudanças de 2020:  Gestão & Pessoas – Construindo times de alta performance.

WhatsApp

CHAT - Quer Saber Mais?